Operações com milho

O milho está entre os grãos mais versáteis e complexos do mundo. Os Estados Unidos são o maior produtor de milho e sua colheita de grãos para 2013 foi estimada em um recorde de 13,99 bilhões de alqueires, onde um alqueire é igual a 25,4 quilos. China e Brasil são o segundo e terceiro maiores produtores da cultura. O milho é uma commodity de base no mundo inteiro, usada para tudo, desde ração animal e xarope de milho usado em alimentos processados, até como fonte de energia.

Fatores que podem influenciar os preços do milho

  • De março a setembro, os preços são fortemente influenciados pelas expectativas de fornecimento do mercado. As expectativas são baseadas no número de acres plantados e o rendimento esperado, considerando as condições climáticas e o progresso da colheita, que são relatados semanalmente pela USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos). As expectativas podem mudar rapidamente, resultando em preços voláteis.
  • Em um ano médio, um terço da colheita de milho dos Estados Unidos é desviada para produção de biocombustíveis. A EPA (Environmental Protection Agency, na sigla em inglês, ou Agência de Proteção Ambiental) americana, parte de uma política energética mais ampla, agora exige um aumento dos volumes de milhos usados para produção etanol. Dependendo do rendimento do milho em uma temporada, os preços poderão subir ou cair.
  • Eventos climáticos atípicos podem causar falha na produção dos volumes esperados, resultando em picos de demanda e preços. Se houver excedente, os preços cairão. Os operadores devem, portanto, prestar atenção às condições climáticas e seus efeitos nos rendimentos da colheita de milho.
  • Os produtores da China, América do Sul e Ucrânia estão reservando cada vez mais acres à produção de milho. Os operadores devem considerar se a demanda irá aumentar para satisfazer este fornecimento maior e como isto afeta os preços.

Todos que desejam negociar milho devem ter em mente que muitos fatores podem influenciar os preços.

Opere com Milho