Como operar com o índice S&P 500

O índice S&P 500 (da Standard and Poor), como seu nome indica, é composto de 500 empresas de capital aberto e é o segundo índice mais citado, após o Dow Jones Industrial Average. O S&P 500 é maior e mais diverso que o DJIA e representa cerca de 70% do valor total dos mercados de ação dos EUA. As empresas incluídas são muitas (a maior parte sediada nos EUA) e representam todos os maiores setores. São elas: Amazon, Bank of America, Facebook, Johnson & Johnson, Southwest Airlines e Xerox. A lista é atualizada periodicamente. As ações incluídas precisam passar pela avaliação de um comitê e satisfazer os critérios de capitalização de mercado e volume mensal de negócios. O S&P 500: O que você precisa saber

  • O tamanho e a diversidade do S&P 500 fazem dele o melhor indicador do mercado como um todo quando comparado com Dow Jones Industrial Average. Por não ser ponderado pela capitalização, ele é considerado por alguns como uma medida melhor das direções do mercado do que o DJIA.
  • O S&P 500 costumava ser ponderado pela capitalização, ou seja, os movimentos nos preços de ações com capitalizações mais elevadas causavam maiores impactos no índice. Isto mudou. O S&P 500 é agora um índice de flutuação livre, ou seja, a capitalização do mercado é calculada não como o preço das ações multiplicado pelo número de ações disponíveis, mas considera simplesmente as ações disponíveis para operação (chamado de ‘the float’).
  • O índice S&P é muito popular. Os especialistas dizem que o melhor momento para operar com ele é no início do dia, enquanto os horários mais fracos são os que compõe o meio do dia.
  • O S&P reage a eventos mundiais, como desastres naturais, guerras, incertezas políticas e notícias econômicas. Também é importante monitorar os dados econômicos dos EUA, incluindo as taxas de desemprego, criação de postos de trabalho, taxas de juros, PIB e outros índices econômicos.

 

Trade S&P 500